sábado, 11 de fevereiro de 2017

“Reset” (17/01/2016)

Eu não entendo essa vontade
Se eu sei que é em frente
Se eu quero continuar insistindo
Se a felicidade se escondeu no depois
Para que me entregar ao tempo?
Largar no sofá as esperanças
Esquecer no silêncio nosso rosto

Não entendo a dificuldade de lutar
Foi engano a renovação da alma?
O dever não ficou de lado?
Não entendo essas amarras
Fugir do próprio pensamento
Basta hesitar para desistir

Construímos verdades
Acreditamos na nossa imagem
E agora que nos desmentimos
Precisamos desfazer nossa fé
E lembrar todos os dias quem somos

Ass: Danilo Mendonça Martinho

2 comentários:

  1. Vislumbram o branco e param, quando ele vem pra ser escrito.

    ResponderExcluir
  2. Meu querido Poeta da Colina...Saudosa estava de te ler...Beijos

    ResponderExcluir