quinta-feira, 7 de julho de 2016

“Alívio”(28/06/2016)

A gente se esquece até o tamanho de um nada
Enterra o que sobra no sofá
Chama o amanhã de nunca mais
E faz tudo isso com gosto
O prazer transbordado de culpa
Como me cansa a consciência
A certeza de ser senhor do próprio destino
E se for menos da possibilidade?
Se abandonar as ambições
Posso ficar mais com o que me faz feliz?
No fim a vida não é sobre trocas
Muito menos sobre essas escolhas
É no meio do próprio julgamento de valores
Encontrar o que possa chamar de liberdade

Ass: Danilo Mendonça Martinho

4 comentários:

  1. A vida é, sem dúvida, um ato de coragem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que não nos falte.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir