terça-feira, 3 de maio de 2016

“Veranico” (08/04/2016)

Mas que calor!
Ah, mas que outoninho vagabundo!
Mas o que fui dizer
Ele veio me cobrar de manhãzinha
Os amores que já vivemos
As verdades que ele me esconde
Perdão pelo impensado
Mas você vem pregando peças
Vem me ofuscando os olhos
Deixou-me com suor e sem lágrimas
Cadê toda tua melancolia?
O Sol sem força e o céu sem graça?
Quero garoa em tarde eterna
Um vento para usar moletom
Um chocolate quente enterrado no sofá
Uma tristeza leve para equilibrar o dia
Tua data já é longa passada
O que irá me inspirar visita tão curta
Logo agora que preciso da palavra
Cresceu em ti a adolescência
Ser veranico para ficar na moda
Ah, seu outoninho sem vergonha
Não se faça de besta
Que te faço poesia!

Ass: Danilo Mendonça Martinho

2 comentários:

  1. Gostei do jogo de palavras, tudo tão outonal!

    Também não sei onde está minha melancolia.

    ResponderExcluir