"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

segunda-feira, 25 de abril de 2016

“Paraíso digital” (04/04/2016)

O amigo no trabalho mandou avisar
Hoje é só ele e Deus
Perguntei se era melhor cópia oculta
E se o endereço é arroba gmail

Será que mudaram o paraíso?
Pois sem wi-fi e cinema 3D ninguém fica
E se formos depender de valores
Nelson Rodrigues por lá não se estica

Acredito que sejam progressistas
Não nesta área de tecnologia
Mas com um pouco mais de paz

No fim mandei a cópia por educação
Deus não tem cara de videografista
Prefere as coisas feitas a mão

Ass: Danilo Mendonça Martinho

segunda-feira, 18 de abril de 2016

“Hora Marcada” (28/03/2016)

Se a cinco minutos tivesse escolhido
Aquilo que não existia tempo para escolher
Teria dado tempo já que se passaram dez
Mas estou perdido sem saber quanto me falta
O tempo sem ser previsto pode acabar ou ser infinito
Agora me culpo por não ter priorizado a vontade
Mas que tempo é esse que posso contar agora
Já que antes nada disso existia
É injusto julgar meu passado pelo tempo
Principalmente por aquele que não era meu
O meu depois era mais pra lá deste agora
O que fazer com todas as sobras?
Quantos pedaços de vida não são meus?
Quantas escolhas não faço pelo tempo limitado?
Se agora eu passo sede
Pelo refrigerante não comprado
Será que meu sonho não chega
Pela hora que acordo?

Ass: Danilo Mendonça Martinho

terça-feira, 12 de abril de 2016

“Admito” (18/03/2016)

Deus, eu tenho um sonho
Talvez não seja muita coisa
Se bem que nunca soube o que seria demais
É quase para ser feliz
É quase para ser para sempre
Mas tenho medo de sonhar acordado
Do desejo estar vestido de fantasia
Da vontade ser apenas uma questão de proximidade

Deus, eu sonho demais
Com sorrisos fáceis
Com dinheiro no bolso
Com família e esperança
Numa vida que é uma só
Mas não sei o que me cabe
O propósito do meu sentir
A verdade da minha alma

Deus, eu sei que tenho um sonho
Eu sei que ele é grandioso
Eu sei que ele me trará paz
Eu sei que ele fará sentido
O que serei daqui para frente
Apenas não consigo vê-lo claramente
Não consigo fazer dele uma escolha
Pois quero ser levado por ele

Deus,
eu espero pelo sonho
Qualquer um que avance
Qualquer um que me liberte
Uma ideia para abraçar
Uma dúvida para esquecer
Mas somos apenas um paradoxo
Eu preciso que ele venha para embarcar
Ele precisa que eu embarque para existir

Ass: Danilo Mendonça Martinho

segunda-feira, 4 de abril de 2016

“Pressa” (11/03/2016)

Ligereza sim
Pois a língua é viva
E a vida curta demais
Falta em mim a destreza
De complicar a palavra
Para fazer versos tais
Vivo num tempo de avareza
No espírito da poesia
Na cabeça formada de intelectuais
Não me sobram muitas certezas
O mundo mudou de muitas maneiras
E o romance vai chegar tarde demais

Ass: Danilo Mendonça Martinho