"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

domingo, 26 de outubro de 2014

“Desapego do Destino”

As coisas não são como deveriam ser
O dever é um atributo altamente humano
A necessidade de se manter a ordem
Um plano traça sonhos, não crava pedras
A vida reinventa-se na menor das distrações
Por que não mudar também?

As vezes se adia tanto encontrar um amigo
Ele nos encontra no meio de uma rua
Que ninguém deveria estar
Estar em algum lugar é muito mundano
Todo lugar é para se estar
Todo dia foi feito para se encontrar

Tenho a total impressão que não sei do que preciso
Uma leve ideia para onde ir, a certeza de querer
Para não me sentir perdido fiz acordos
Um sorriso sincero a qualquer hora
Imaginar por alguns minutos meu futuro
Lembrar de alguém sem distâncias
Saber que as coisas são independente de dever
E por fim, se faltar uma companhia
Que o vento possa ser nosso abraço

Ass: Danilo Mendonça Martinho

6 comentários:

  1. Danilo,

    Então que Deus nos guie para nosso encontro na vida real!
    Parabéns pelo belíssimo texto, pois sintetiza o elo entre amigos queridos que apesar da distância estão cada vez mais presente em nossas vidas!
    Abraços,
    Ana Cristina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Distância é uma criação do corpo , não da alma, não é mesmo?Obrigado Ana

      Excluir
  2. Soneto-acróstico

    Deixar as coisas como deveriam ser
    Apenas para manter a necessidade
    Não reinventar a vida e tudo manter
    Implicará em abominável necedade.

    Lógico compreender cada coisa será
    Onde houver prioridade de se mudar
    Mover montanhas e nada se perderá
    Apenas nem tanto a terra nem ao mar.

    Rever aquilo que de fato se precisa
    Tanto já, agora como bastante além
    Incluindo emergência que não avisa.

    Nada fica ao acaso por isso também
    Hora de trabalhar, vestir-se a camisa
    Ou vai em um sentido e os outros vêm.

    ResponderExcluir
  3. '''Estar em algum lugar é muito mundano
    Todo lugar é para se estar
    Todo dia foi feito para se encontrar'''

    Se encontrando ou se perdendo, a vida que é mundana.

    ResponderExcluir