"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

terça-feira, 8 de julho de 2014

“De um dia pro outro” (24/06/2014)

Meu rosto vai desaparecer
Eu mesmo vou esquecer
As companhias silenciosas
Que hoje me despeço
Só eu sei que vou partir
Reparo em todos os detalhes
Quando uma rotina muda
É provável que não vamos mais voltar

Então caminho sem pressa
Não evito mais olhares
O mais gentil que posso, sorrio
Quantas palavras nasceram aqui
Quantas vidas cruzei sem tocar
Observei mundos distantes
Que sentaram-se ao meu lado

Há uma nostalgia do presente
Tudo isso já é passado
Amanhã tudo se perderá
Já foram muitos caminhos
Distâncias se constroem rapidamente
Como se uma rotação da terra
Deixasse tudo do outro lado do mundo
O tempo é muito frágil

Nesta efemeridade dos dias
Digo adeus ao que não dura
As faces que não marcaram a minha
Ao caminho que permanecerá
Mas onde serei desconhecido
Basta dormir e a rotina será outra
Como se sempre tivesse sido assim

Ass: Danilo Mendonça Martinho

2 comentários:

  1. Realmente o tempo é muito frágil. E eu entendi bem o que você quis dizer e disse com esse poema. Ate dói, logo passa. A fugacidade é nos torna vulneráveis.

    Continuo só elogios para com sua literatura.

    ResponderExcluir
  2. Que legal também poder ouvir a voz do poema! Adorei!

    "Distâncias se constroem rapidamente
    Como se uma rotação da terra
    Deixasse tudo do outro lado do mundo"

    E cabe muita distância dentro da gente.

    ResponderExcluir