"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

“Olho de Vidro” (13/11/2013)

O vidro rachado range
Remendos não alteram sua natureza
A cada estalo um grito de liberdade
Foi-lhe negado o fim

Ele esta exposto ao tempo
Em uma fileira que parece infinita
Se repetem as marcas da chuva
Impregna os sabores das cinzas

O sol não é o mesmo deste lado
O mundo quase não gira
Um tom envelhecido e cansado
Os pesos de uma eternidade

Tudo que assustava lá fora
Hoje vive nas fissuras
Um dia não vai mais aguentar
Esperança também quebra

Ass: Danilo Mendonça Martinho

2 comentários:

  1. Substitui-se o olho, mas o que seria, jamais.

    Abraço poeta!

    ResponderExcluir
  2. ''Esperança também quebra''

    Já posso resumir meu 2013 com essa tua pequenina frase.

    ResponderExcluir