"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

“O sorriso da palavra” (05/09/2012)

A palavra deixou de doer
Perdeu assim, sua companhia
A alegria figurou como desconhecida
Indigna de um comentário
Se fosse melancolia falando de felicidade
Reuniriam-se todos para aplaudir
Mas é apenas a verdade descrevendo realidades
O que é o amor se não derrama?
Nota pé de um jornal qualquer

Ninguém quer as palavras doces
O coração amargo não acredita
Mas compra tudo que é utopia
Cercando-se de um vazio
Como é difícil olhar em frente
Ouvir dizer que o sonho existe
E nem poder ver o teu desenho
Que triste fim à palavra sorriso
Descobrir-se solidão como o inimigo

Ass: Danilo Mendonça Martinho

5 comentários:

  1. A palavra sozinha, custa a voltar sorrir.

    Abraços poeta!

    ResponderExcluir
  2. ... verdade. Todo mundo só passa... e a palavra só! Abrs e sucesso sempre

    ResponderExcluir
  3. O mundo é travesso, um dia nos perfuma a alma, outro dia nos trás odores do fel que embota sorrisos...beijos

    ResponderExcluir
  4. O que pode a palavra sem a entrelinha?

    ResponderExcluir
  5. Uma palavra pode ferir, uma palavra pode curar.. uma palavra é uma incerteza deitada por uma boca, interpretada pelo coração que a ouve ou lê.. uma palavra é uma incerteza na boca que a lança, sem saber se fere ou cura, o coração que a recebe..

    ResponderExcluir