"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

segunda-feira, 2 de abril de 2012

"Ser ou não ser" (30/03/2012)

Se um dia descobrir que não amo
Terei construído um jardim de inverno
Uma beleza presa em uma redoma
Verei a chuva escorrer no vidro
Incapaz de distinguir das lágrimas
Onde plantei a felicidade?
Prometa que mesmo sem o toque
A rosa seguirá seu curso
A dor é um sentimento que também nasce
O provável é que essa não tenha fim
Cultivarei ela como o amor
Preservando a parte viva de mim
Todo resto terá partido
No mesmo olhar que se fechou
Atrás da porta deixarei a lembrança
Partindo sem nada que não me pertença
O que se vive a dois jamais caberá em um
Um armário vazio de sentimentos
Um espelho vazio de sentido
Descobrirei o lado oco da alma
Sem amor não existirei em mim

Ass: Danilo Mendonça Martinho

7 comentários:

  1. Não será um poeta se não tiver amor
    Um depende claramente do outro.
    Sem amor não vivemos, não nos inspiramos, não respiramos.

    Bom dia!

    ResponderExcluir
  2. "Sem amor não existirei em mim"

    Sem amor não existirá!

    ResponderExcluir
  3. Acredito que os poetas não conseguem viver sem amar...
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Sem amor, nada é; ainda que seja.
    E nada jamais será; ainda que tudo aqui aconteça.
    Sem amor, sobra um, faltam dois, nunca nós.

    ResponderExcluir
  5. Cultivar a dor, sem perder o odor da rosa, difícil mas preciso.

    Ausente presente, obrigado por não esquecer desse amigo.

    Abraços e uma linda vida!

    ResponderExcluir
  6. Triste e bonito, como os bons textos.

    ResponderExcluir