segunda-feira, 30 de abril de 2012

“Norte” (25/04/2012)


Somos rascunhos
Traços a procura de continuação
Não há borracha no caminho
Temos que assumir toda imperfeição
Peças aparentemente sem encaixe
Mas desvios são necessários
A vida não se completa em um círculo
Começa em serra sinuosa
Termina em planícies extensas
É tudo uma questão de rumo
Nascemos sem, vivemos com
Sejamos além do horizonte


Ass: Danilo Mendonça Martinho

10 comentários:

  1. A vida deveria ser escrita a lápis...

    ResponderExcluir
  2. Nascemos sem, vivemos com.

    Penso que viver é um lucro desencontrado poeta.

    Um abraço da Ziris

    ResponderExcluir
  3. Assumir toda imperfeição tem sido difícil para o ser humano.

    ResponderExcluir
  4. Das imperfeições da vida, nascem o mundo belo... e este chama Poesia.
    Lindas palavras!

    ResponderExcluir
  5. Sempre nos enganamos achando que a vida é um rascunho, que engano mais conveniente...

    Somente assim, vivemos naquela ânsia desesperada de acertar, de tentar mais uma vez.

    Viva os enganos do mundo!

    ResponderExcluir
  6. É mais fácil encontrar um do que ser.

    Mas não deixaremos de tentar.

    Abraços Poeta!

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    A vida não tem borracha, mas tem a caneta que voce usou para escrever, basta riscar, rasurar, esquecer, e aguentar as consequencias.

    Abraços!
    Homem de 2indices

    ResponderExcluir
  8. E a tela será o melhor quadro.

    Abraços.
    Fer.

    ResponderExcluir
  9. Talvez seja depois do horizonte onde as promessas ganhem vida e os sonhos tomem forma.

    ResponderExcluir
  10. O seu norte, Danilo, compartilha conosco o olhar.

    ResponderExcluir