"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

“Apesar” (26/01/2012)

Impressiona-me os pesares da vida
Ancoramos em todo cansaço
Carregamos a mágoa na carteira
Nos tornamos sempre sobreviventes
Um olhar além da lágrima
Um sorriso depois da palavra
Um verso a ignorar o ponto final
Inadvertidamente somos um corpo que insiste
Abraçados a motivos frágeis
Acreditando que não nos sobrará apenas
Mas seguimos a excluir nossos pedaços
Sentimentos de nossa história
Ignorando que também nos fazem parte
Carregamos este fardo à toa
Não podemos viver com ressalvas
A liberdade é, apesar de nada.

Ass: Danilo Mendonça Martinho

9 comentários:

  1. Apesar de todo o pessimismo, a vida que nos mostra o contrário. Apesar disso, a liberdade. Gostei. Parabéns! :)

    ResponderExcluir
  2. Que belas palavras, você realmente escreve muito bem!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Seguir, indo o que mudou de si mesmo, levando as memórias que mesmo tão longe nos levarão mudar mais um pouco.

    ResponderExcluir
  4. meio torto, sem jeito, sem vontade. Nos tornamos, apesar de tudo, um algo a mais pelas entrelinhas.

    ResponderExcluir
  5. A liberdade é a parte que nunca deixa de ser. Além de...

    ResponderExcluir
  6. Seu texto sempre profundo e muito reflexivo...gosto...beijos
    Luana Barcelos Dantas

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    O interessante que cada 1 linha, voce pode ler várias linhas.

    Muito bom!!
    Homem de 2indices

    ResponderExcluir
  8. Liberdade é driblar nossos próprios cacos.

    Francamente, adorei este poema.

    ResponderExcluir