"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

“Ensaio sobre o perdão”

Dote dos grandes
Dom dos raros
Humanidade em gestos
Teu coração cabe?

Aprender a ser dor
Tirar o pedaço que não é teu
Fazer paz de feridas
Viver do retalho
Dar abrigo as sobras
Será que satisfaz?

Diante teu opressor
Apagada a ilusão do sonho
Servido o cru dos corpos
Abre-se mão do querer?
Ou dissipa-se o interesse?

Penso que perdôo
Pelas virtudes que vencem
Mas não posso fechar os olhos
A tudo que não me importa
A culpa e o rancor
São laços de união
E a ausência do perdão
O que te mantém no aqui

Ass: Danilo Mendonça Martinho

12 comentários:

  1. Lindo demais ! Estava no mundo sufocante do twitter quando vi teu link e resolvi ler.Gostei demais, nada como a beleza das palavras.A diferença, a beleza, como palavras podem ser usadas para nada e podem ser usadas para criar lindos poemas como este.

    ResponderExcluir
  2. Perdão é a parte que nos cabe para que possamos ser paz.

    ResponderExcluir
  3. Perdoar é um dom? Nunca tinha pensando dessa forma. Mas, a verdade é que poucos são capazes disso...

    ResponderExcluir
  4. Querido, pensei que tinha me esquecido,rs.
    Perdoar é um dom assim como escrever (e o dom de escrever ,você sabe e domina muito bem)...só tenho 15 aninhos,rs. Mas espero aprender muito contigo.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Também penso que perdoo, pelas virtudes que vencem...lindo..
    Beijos
    Luana Barcelos Dantas

    ResponderExcluir
  6. Carregar um tesouro tanto para doar sempre quando é preciso. Grandeza da alma, que se traduz pelo coração, tem o nome de Perdão.

    ResponderExcluir
  7. que esse pão não falte na terra dos necessitados. amém.

    ResponderExcluir
  8. E que sejamos mais desapego de mágoas, que sejamos leveza, que sejamos perdão.

    Abraço moço da colina.

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Perdão não é coisa de bíblia,
    perdão é coisa da vida.

    Homem de 2indices

    ResponderExcluir
  10. Quando se descobre como liberta, o rancor passa a ser bem mais raro.

    Ótimo fds!

    ResponderExcluir
  11. Reler esse poema, exercitar de novo o tanto dessa palavra. Que bom!

    ResponderExcluir