segunda-feira, 5 de setembro de 2011

“Se puder...” (30/10/2007)


Esquece-me mente, em um breve momento de piedade
Sei sofrerei as conseqüências, só que mais tarde
Poupai meus passos deste peso a toa
Se existe em mim, como grita tão alto?
Se existe em mim, por que simplesmente não te calo?

Esquece-me hoje, e se possível amanhã também
Sua possibilidade diária me assusta
Insistindo nas minhas contrariedades
Por que não sussurra e me põe a dormir?
Por que não se senta, e apenas descreve meus sonhos?

Lembra-me mente, em um breve momento de saudade
Permita-me um leve vôo de liberdade
Pouco importará o que se faz real
Queime minhas asas se for tolo o suficiente
Queime minhas asas se eu ousar mais

Lembra-me hoje, só posso agora
No momento que me enxergo fora da razão
Aproveita que esqueci de proteger o coração
É impreterível que me tome pelos braços mais uma vez
É impreterível que não me deixe escapar para sempre

Ass: Danilo Mendonça Martinho

Você pode ouvir este poema no próximo dia 22 de Setembro na "Noite de Autógrafos+ Sarau" do livro "Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI". Para ganhar o seu autógrafo basta levar o seu exemplar.

Conto com vocês.

7 comentários:

  1. Não há porque esquecer se te ler faz um bem danado para o nosso ser. Abraços, do fã.

    ResponderExcluir
  2. Fã incondicional.

    Recordações e esquecimentos fazem parte de nosso horizonte de sentido.

    ResponderExcluir
  3. Danilo, amei...muito profundo...

    Beijos,

    Luana Barcelos

    ResponderExcluir
  4. Lindo, cada dia que passa me encanto mais com ruas poesias.
    Abraços e boa sorte na venda dos livros

    ResponderExcluir