segunda-feira, 4 de julho de 2011

“Jogar-se” (28/06/2011)

Quem desenhou este vôo sem asa
A ilusão de Ícaro
A fuga sem realidade
Abandono todas máximas
Não quero compensar o universo
Sentir não é sacrificar-se
Não há promessas no fim do abismo
Ao me trocar pelo outro
Apenas desapareço
O querer não pede evidências
Posso ser mais teu
Mas sem ser verdade
Ainda prefiro tentar
Não viver longe daquilo que penso
Seja corpo ou coração
Não precipito mais
A queda não defende causa

Ass: Danilo Mendonça Martinho

11 comentários:

  1. Teu texto é intenso e belo. A cada postagem percebo que tua escrita muda. Não sei, mas estou gostando...

    ResponderExcluir
  2. O desejo arremata o que lançar-se de novo.

    ResponderExcluir
  3. ''Posso ser mais teu
    Mas sem ser verdade'' - Infinitamente lindo.

    ResponderExcluir
  4. Ainda prefiro jogar-me à vida a parar de voar!

    Beijos, querido!
    Amei!

    ResponderExcluir
  5. "Ainda prefiro tentar não viver longe daquilo que penso"

    Então, olha para baixo e... aprecie a queda. Caia nos braços da vida. E viva-a. À tua maneira.

    ResponderExcluir
  6. Prefiro o abismo, a queda, a entrega
    O vento sussurrando no meu ouvido...

    E que a vida me espere lá embaixo de braços abertos.

    Beijos, boa noite!

    ResponderExcluir
  7. Mais difícil que chegar, é ultrapassar o abismo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda prefiro caráter, sinceridade, honestidade, à contaminação do supérfluo, do descartável, do dissabor, do desamor...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. É necessário jogar-se para aprender a voar.

    Beijo doce, ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  10. Não dá para viver longe dos pensamentos. Por impossibilidade e falta de vontade.
    Texto e blog incríveis.
    Se puder, depois dê uma olhadinha no meu blog. É:
    http://penseecorra.blogspot.com/
    Bjos

    ResponderExcluir