quinta-feira, 14 de julho de 2011

"Bússola" (12/07/2011)

Não me incomodaria de ser feliz
Mas sabe tanto quanto eu
O teu olhar já não me procura
A tua palavra tenta disfarçar
Jamais movi teu sorriso
Diverte-me essa certeza
Ver no corpo alheio
Sentir na alma distante
Que há outro norte
Não aceitou minha rosa dos ventos
Meu farol segue sem porto
Bom é te ver a salvo
Distante da própria tormenta
O que te move nem disfarça
Você é mais dele do que teu
E qualquer palavra fica sem direção
Incomodaria-me desviar teu caminho

Ass: Danilo Mendonça Martinho

12 comentários:

  1. Prefiro me perder do que me encontrar na solidão.

    ResponderExcluir
  2. Doloridas palavras, e ao mesmo tempo tão belo. Eu gosto de tudo que escreve! Beijos. Au revoir.

    ResponderExcluir
  3. Palavras sem direção
    Caminham em direção às águas, que espiam sem interferir
    Outro porto, outro rumo
    Mais um pôr-do-sol

    ResponderExcluir
  4. Os nossos caminhos ao contrário do que dizem não estão traçados. E ninguém sabe qual a estrada que vai nos levar além. De nós.

    ResponderExcluir
  5. Sem direção, sem agenda, sem nada, mas tenho tudo. Apenas um caminhante e a eterna procura!

    ResponderExcluir
  6. Incomoda não seguir o coração...

    Lindo!

    Beijos, querido!

    ResponderExcluir
  7. Bússola da vida. Sempre difícil saber para onde ela está apontando.

    ResponderExcluir
  8. Este sorriso incansável precisa encontrar outro rosto para imperar. Ao escrever poesia, sua bússola reativa.

    ResponderExcluir
  9. As vezes os polos se invertem e o ponteiro enlouquece.

    Abraços

    (Achei ter visto você no metrô, mas cometi o erro da pressa me guiar sem perguntar

    ResponderExcluir
  10. Em certos momentos, acho que perdi minha bússola e minhas palavras saem tortas e sem rumos para um alguém que já não está mais comigo. Encontre-o pra mim.

    ResponderExcluir