segunda-feira, 13 de junho de 2011

“Príncipe” (07/06/2011)

A coroa é um fardo
Disfarçar sorrisos
Engolir palavras
Sempre estender mão
Abdicar egoísmos
Moderar abraços
Medir palavras
Evitar reações
Decidir pelo outro
Dispor de sacrifícios
Sentir calado
Amar sufocado
Fazer reverências
Apontar o caminho
Não ter destino
Abrir a porta
Beijar o rosto
Deixar passar
Ser cavalheiro nesse mundo
É ser algum tipo de solidão

Ass: Danilo Mendonça Martinho

4 comentários:

  1. Fazendo uma visita e recebendo um presente, de tão lindas palavras que respingam até mesmo onde os meus olhos não alcançam...
    Parabéns!!!
    Estou seguindo o teu blog e convidando-a a seguir e conhecer os meus pedaços no diário de uma poetiza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Escreves muito bem. Gostei. Adoro poesia e por que não seguir seu blog? Beijos. Au revoir :)

    ResponderExcluir
  3. Nada mais verdadeiro, muitos abdicam do trono.

    ResponderExcluir
  4. O princípe tem um estado de ser anterior ao que devolve seu desejo. Ele existe escondido.
    Leonardo Valente
    www.lioh.arteblog.com.br/

    ResponderExcluir