"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

quinta-feira, 23 de junho de 2011

“Fração” (19/06/2011)

Não há fuga
Palavra que enobreça
Verdade que justifique
Essência que se assuma
Vontade que demonstre
Somos vis
Ao menos podemos
Perturba-me essa perspectiva
Que escapa dos meus princípios
Faz de tudo uma razão
Do nosso olhar um lugar comum
Limites
Não podemos ser sempre poesia
Tudo pode ficar incompleto
Sem ninguém escapar ileso
O justo é uma noção parcial
Sofremos
Mas continuo caminhando
Resumido ao que sinto
Ao breve suspiro
Que preenche o vazio

Ass: Danilo Mendonça Martinho

9 comentários:

  1. Somos fração, cada detalhe compõe o todo
    Como um mosaico que se constrói aos poucos
    Feitos de limites e possibilidades
    A incompletude nos aponta para a busca da inteireza
    Onde haverá sempre um retalho de vida a ser bordado na existência
    O importante é continuar caminhando
    E que cada suspiro, faça a vida valer a pena.

    ResponderExcluir
  2. *.*
    que proeza!
    que perfeição
    está muito simétrico e ao mesmo tempo simples e tocante
    amei. de verdade
    parabéns

    http://rgqueen.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Muitas vezes só temos esse suspiro para preencher o vazio.... em outros momentos,o vazio parece engolir até o nosso ar.
    Lindos versos!

    ResponderExcluir
  4. Quando o vazio apresenta-se, o poeta surge!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. O vazio abjeta os nossos reais sentimentos...

    ResponderExcluir
  6. Adoro Ler-te querido!!
    ....Mas continuo caminhando
    Resumido ao que sinto...

    BjoOoo!

    ResponderExcluir
  7. Assim também sou. Assim também estou. Assim também vago. Assim também suspiro e procuro.
    Um bj na sua alma infinita, querido poeta.

    ResponderExcluir
  8. Lindos versos, poeta querido!!

    Que bom que existem mestres como você para interpretar o vazio existencial...

    Beijo carinhoso, adoro ler-te! Me inspiro sempre!

    ResponderExcluir
  9. Preenchemos o vazio imoral ou amoralmente.

    Abandonemos nossos instintos e sejamos honestos ao invés de livres pensadores.

    ResponderExcluir