quinta-feira, 17 de março de 2011

“Brilho da Noite” (09/03/2011)

Há quanto tempo não me caia uma estrela. Fazia já meses que a luz se perdia na escuridão, mas hoje me cercaram. Queria poder registrar sua presença para quando minha procura for vã ainda assim te achar. Mas tu é sombra, esconderijo de desejos. Brinca com intensidades, desaparece com sentimentos. Tu és parte misteriosa da noite e mesmo sabendo que tudo pode levar, abri-te os braços. Abdiquei de instantes por teu olhar, para descobrir que senti tua falta. Ah, estrela qualquer que me observa sem palavras, já te conheço e sei que cai sem nomes, mas bem que em algum dia poderia me procurar.

Ass: Danilo Mendonça Martinho

12 comentários:

  1. Te procurará com certeza, está a te observar, já se enamorou.

    ResponderExcluir
  2. Dizem que nada acontece antes ou depois, é sempre no momento certo. Espera, será que tens paciências? bacio

    ResponderExcluir
  3. Quando olhares o Céu à noite eu estarei habitando uma delas, e de lá estarei rindo; então será, para ti, como se todas as estrelas rissem. Desta forma, tu, e somente tu, terás estrelas que sabem rir! [P.Príncipe]

    Beijos Danilo!
    =)

    ResponderExcluir
  4. Como gostariamos que as estrelas nos procurassem... como gostariamos...

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Talvez sejamos todos estrelas procuradas, que se perderam em esconderijos ao procurar por outras.

    ResponderExcluir
  7. Tem vezes que a escuridão é imensa e demora para passar, mas então quando o brilho retorna é ainda mais intenso.

    ResponderExcluir
  8. "Queria poder registrar sua presença para quando minha procura for vã ainda assim te achar."

    Eu só precisava disso. Só.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Lindo demais....

    Sem palavras!

    Beijos, querido!

    ResponderExcluir
  10. "Te desejo Nesta Semana
    Paciência para as dificuldades
    Tolerância para as diferenças
    Benevolência para os equívocos
    Misericórdias para os erros
    Perdão para as ofensas
    Equilíbrios para os desejos
    Sensatez para as escolhas
    Sensibilidades para os olhos
    Delicadezas para as palavras
    Coragem para as provas
    Fé para as conquistas
    E amor para todas as ocasiões..."

    Bjos de boa semana.

    ResponderExcluir
  11. Para o poeta, sinônimos não existem. Cada palavra soa, cheira, degusta e diz diferente.

    ResponderExcluir