quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

“P.B.” (26/11/2010)

Hoje acordou tudo cinza
Lágrimas sem sal
Debutavam em meu jardim
Parti em meio ao lamento
Nos caminhos da solidão
Visitei as lembranças
Sobras das presenças
Debrucei sobre o amor
Em uma melancolia a dois
Desisti do nascer da flor
E naquela verdade
Padecia toda cor
Quando voltei à janela
Compartilhava a dor do mundo
Chovia em um inverno
Desejando nascer na primavera

Ass: Danilo Mendonça Martinho

8 comentários:

  1. Desejo abrir as minhas janelas e encontrar lá fora as cores e a leveza do outono!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Sei bem...

    Mas não nasceste no verão? Torna a raiar poeta, forte, quente e imenso. Até que deixes a tarde avermelhada, tímida de ti...

    Te abraço

    ResponderExcluir
  3. Por mais que digam o contrário, eu acredito que precisamos, sim, destes momentos. Não é remoer o passado, remoer tristezas, é dar vazão à alma, ao coração, é permitir-se viver cada um dos sentimentos, dos momentos, das dores, o que é bom e o que ruim... Depois disse, é renascer, pleno.

    Adoro seu espaço, Danilo!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Tem um selo pra você no meu blog!
    Espero que goste.

    Beijos : )

    ResponderExcluir
  5. Danilo,seu nome me traz lembranças...rs.
    Adorei seu blog!*-*
    Me encantei com as palavras.
    Realmente, minha "vida é de palavras"!
    Seguindo...depois me segue tá
    Grande bjo.:-}

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Com certeza, muito interessante...rs
    Bons momentos!
    Você tem razão, na maioria das vezes
    Escrever é Solidão... =/
    Bjos e obrigada pela visita.;)

    ResponderExcluir
  8. Esquecer as lembranças é tão difícil...

    ResponderExcluir