"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

“Uma verdade” (07/08/2010)




Por que a solidão dói tanto?
Quem abriu minha alma?
Por que não me esqueço?
Não sei se sangro ou se choro
Quero abandonar este corpo
O coração que de nada serve
Só eternamente sofre
Meu âmago grita e ecoa
Não agüento céus
Não agüento infernos
Não agüento...
Queria rasgar meu peito
Para que nunca mais o fizessem
Queria sumir desta vida
Mas carrego todo meu vazio
Não tenho igual, um breve reflexo
Não encontro outra mão no final da minha
Ardo em mil intensidades
Sobram-me somente ilusões
Estou no fim da angústia
Quero abandonar
Romances, relações, corações
Desisto de tudo
Quem sabe companheiro da solidão
Ela não me mate.

Ass: Danilo Mendonça Martinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário