"Poeta da Colina - Um Romântico no Século XXI"

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

“Todo fim é um recomeço” (22/07/2010)




A chama apagou
Já não importa
Teus olhos
Nossas justificativas
Boas lembranças
Esquecidas no fim
O que serei além?
O horizonte é pálido
As manhãs são frias
Mas ainda caminho
Sobrevivo a este inverno
De céus puros
De sóis intensos
Dias longos
Vou me despindo
Proteções, cicatrizes
Algo me aquece
Tiro mágoas
Abri mão
Paguei a liberdade
Foi necessário
Foi imprescindível
Posso voltar a sorrir
Há flores no meu jardim
A primavera que desperta
Em um novo olhar

Ass: Danilo Mendonça Martinho

Um comentário:

  1. Gostei muito desse poema, resume muito bem um término, um adeus e um recomeço, com belas palavras. Abraço.

    ResponderExcluir