quinta-feira, 18 de junho de 2009

“Alforria” (09/06/2009)




Livre, palavra que lateja
A cada fio de esperança

Liberdade de todos os sonhos
Respirar sem faltar fôlego

Livre dessas traições mentais
Para definitivamente fugir

Liberdade nas palavras
Sem mais vícios ou considerações

Livre de peito aberto e alma limpa
Cara lavada , sem vergonha

Liberdade de atitudes
De um sono tranqüilo

Livre para versos sem rimas
Estrofes disformes.

Liberdade de lhe dizer sem pudores
Não negar amores.

Livre para tomar pelos braços.
Liberdade pra viver conseqüências

Cada vez mais
Cada espelho que me repara
Cada dia que me passa
Cada olhar alheio
Cada pensamento
Cada gesto
Cada reação...

Livre ecoa mais forte.
Liberdade é mais sensata.
Livre vende separadamente?
Liberdade tem para baixar?
Livre enquanto pode
Liberdade enquanto ideologia.
Livre antes de mais nada
Liberdade antes de tudo.
Livre, em essência
Liberdade, uma palavra

Tudo que hoje peço
Um dia confesso
Despido de limites
Dizer ao transeunte
Sou livre
Livre.

Ass: Danilo Mendonça Martinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário