sexta-feira, 10 de abril de 2009

"Dash...."(29/03/2008)




O nome ficou incompleto
Durante horas aguardou oculto
Pedia uma conversa corriqueira
Esperava uma palavra amiga
Mas ficou no silêncio
Enquanto brincavam lá fora
Ouviu algumas risadas
Poesias jogadas ao vento
Viu uma inércia impregnada
Nos olhos já sem rumo
Sentiu a mente escapando
Uma fuga da realidade
Assistiu noite adentro
Quem negava-se a ver
Quem martirizava sem razão
Um corpo cansado
Que abria janelas
Sem saber o que buscava
Escondendo o horizonte

Ali permaneceram as letras
Caprichosamente pela metade
Uma intenção sem conclusão
Uma proposta instigante
Uma prévia do que viria
Algo a ser deduzido anos daqui

Quando se deparou com a meia palavra
Lembrou da efêmera idéia
Tudo pareceu distante demais
Singelamente sorriu e se retirou
Como cavalheiro agradeceu
Não lhe pesou deixar para depois
Fechou os olhos e tranqüilamente
Dormiu sem saber

Ass: Danilo Mendonça Martinho

Um comentário:

  1. Sempre pensei que seria melhor dormir sem saber.

    Mas não é um privilégio de muitos cavalheiros..

    ResponderExcluir